A primeira Legislatura da Câmara Municipal de Arcos, composta por vereadores eleitos pelo povo, foi instalada em 11 de Dezembro de 1947. De acordo com a ata, na ocasião foi eleita a primeira mesa diretora do legislativo composta por: Homero Pires Gontijo – Presidente; Luiz Teixeira Malta – Vice-presidente; Trajano Vieira de Faria – Secretário. Só em 01 de Janeiro de 1948, em sessão extraordinária os vereadores foram oficialmente empossados, bem como o prefeito e o vice-prefeito. A primeira reunião ordinária ocorreu no dia 06 de Janeiro de 1948 e tratou da formação das comissões permanentes.

Em 13 de Janeiro de 1948, foi dada entrada no primeiro projeto de lei enviado pelo executivo à Câmara Municipal. O projeto tratava de autorização para empréstimo junto à Caixa Econômica Estadual, destinado para financiamento das obras de construção da nova usina hidroelétrica, na cachoeira do Rio Santana. O projeto foi aprovado por unanimidade.

Atualmente, a Câmara está instalada em um moderno prédio, inaugurado em 14 de Julho de 2007, na Rua 25 de Dezembro, nº 760, no centro de Arcos. Com espaço amplo e designer inovador, possui um plenário estruturado com capacidade para 129 pessoas sentadas. O legislativo é formado por 13 vereadores e as reuniões ordinárias acontecem toda segunda-feira, às 20h.

Devido exigências do Corpo de Bombeiros e vários problemas estruturais, tais como infiltração no telhado, e insegurança evidente no plenário e saguão, riscos de desabamento de placas de gesso e risco de incêndio, e falha na parte elétrica, no ano de 2014, na presidência do Vereador Wirlei Alves, iniciou-se a reforma, sendo a obra licitada pela Prefeitura Municipal de Arcos, uma vez que o imóvel é de propriedade da mesma.

A Câmara Municipal reabriu suas portas em 13/07/2015, na Presidência do Vereador Geraldo Cláudio Rodrigues (Claudinho), sendo que a Casa Legislativa arcou com 100% dos gastos da reforma, devolvendo as economias geradas à Prefeitura Municipal para custear a obra.

No ano de 2014, na Presidência do Vereador Wirlei Alves, foram realizadas cinco devoluções, somando-se R$ 629.353,03 (seiscentos e vinte e nove mil, trezentos e cinquenta e três reais e três centavos).

Na gestão do Presidente Geraldo Cláudio Rodrigues (Claudinho), foram devolvidos mais R$ 406.508,75 (quatrocentos e seis mil, quinhentos e oito reais e setenta e cinco centavos).

Acompanhe o que foi realizado na reforma do Prédio da Câmara:

Demolições 
Inicialmente foram retiradas e demolidas, toda a estrutura metálica de cobertura, o telhado em péssimo estado, as calhas de cobertura, o forro de gesso, as instalações elétricas entre outros.

Cobertura 
A cobertura foi totalmente reconstruída, com instalação de tesouras metálicas apropriadas, dimensionadas para as cargas do projeto. O telhado foi substituído por telha metálica dupla, com isolamento térmico e acústico, para melhorar o desempenho da edificação, reduzindo os gastos com energia elétrica.
As calhas de águas pluviais do telhado se tornaram autoportantes, permitindo o acesso dos funcionários, para limpeza e manutenção do telhado. Na antiga edificação, quem pisava na calha, corria sério risco de cair do telhado, afundando-se na estrutura ou tropeçando pela platibanda.
O forro foi inteiramente refeito, em gesso acartonado, mais seguro. No Plenário/Auditório o forro acompanhou a inclinação do piso, tendo  reduzido o pé-direito, melhorando a acústica, o conforto térmico, e facilitando a troca de lâmpadas.
Ainda se instalou duas “escadas-marinheiro” para acesso ao telhado, dando segurança aos funcionários da manutenção.

Impermeabilizações
As platibandas e lajes expostas, para instalação dos equipamentos de climatização, foram impermeabilizadas, com manta asfáltica aluminizada, para evitar infiltrações de água pelas paredes. Peitoris em granito instalados sobre a platibanda, formando-se pingadeiras interna e externa, minimizando as manchas por escorrimento de águas de chuvas. As paredes em contato com o solo, que apresentavam problemas de infiltração, também receberam impermeabilização.

Instalações de Incêndio
As instalações de Prevenção e Combate a Incêndio e Pânico foram implantadas conforme normas vigentes. Anteriormente à reforma, a edificação não atendia às Normas, e corria riscos em de tragédia em eventos públicos, como ocorrido em Santa Maria/RS. Placas indicativas, extintores de incêndio e hidrantes foram instalados.

Paredes de platibanda 
Na edificação atual não existia proteção contra descargas atmosféricas. Foram implantado SPDA – Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas, em obediência às normas vigentes.

As paredes de platibanda, sobre o telhado, foram elevadas para garantir segurança às operações de manutenção.

CFTV
Implantou-se Circuito Fechado de Televisão proporcionando o monitoramento interno e a gravação das atividades por câmeras de circuito fechado.

Cabeamento
Foram implantadas instalações adequadas para o Cabeamento, já de acordo com a prevista ampliação da edificação.
Instalações elétricas
As instalações elétricas foram refeitas, privilegiando o uso de lâmpadas de LED, mais duráveis e econômicas.

Climatização
O saguão da Câmara e salas receberam climatização para proporcionar conforto aos usuários, sobretudo em eventos com grande número de pessoas.

Acústica
Além da adoção de telha acústica na cobertura, de rebaixamento maior do forro do plenário, foi realizado  o tratamento acústico do plenário, com instalação de revestimento acústico apropriado em paredes e no piso.

Móveis

Foram trocados apenas os móveis do Plenário, compreendendo a Mesa Diretora e mais nove mesas individuais para os Vereadores.

As cadeiras foram recuperadas e lavadas.