Provedor e diretor financeiro da Santa Casa utilizam Tribuna para explicar situação econômica do hospital

Segundo dados apresentados, dívida acumulada é de aproximadamente R$ 1,8 milhão, o que compromete a qualidade do atendimento e internações

A Câmara Municipal recebeu na última reunião legislativa a visita de dois representantes da Santa Casa de Arcos: o provedor, Urbano Luís Albuquerque de Oliveira, e o diretor financeiro, Roberto Miranda. O objetivo da iniciativa foi apresentar aos vereadores e plateia presente um balanço da situação da entidade, que passa por dificuldades financeiras há bastante tempo.

Urbano Albuquerque, em seu pronunciamento na Tribuna, não escondeu a preocupação com a realidade contábil do hospital, que além de uma dívida de quase R$ 2 milhões, ainda acumula um débito de cerca de R$ 500 mil com o corpo clínico, fruto de atraso no repasse aos médicos das consultas por eles realizadas (particular e convênio), valor que em princípio fica depositado na conta da Santa Casa.

Ajuda

Diante do cenário de incertezas, provedor e diretor financeiro apresentaram um plano de saneamento com execução em médio e longo prazos, que envolve inclusive um financiamento a juros mais baixos, oriundo do BNDES.  Também informaram que tão logo sejam concluídas as obras do bloco cirúrgico, novos profissionais da medicina passarão a fazer parte do corpo clínico do hospital, que já tem nomes conceituados, em várias especialidades, para atuarem na cidade.

Comprometimento

Os vereadores se comprometeram a ajudar a Santa Casa, buscando recursos junto aos seus deputados, por meio de emendas, para minimizar a atual situação. Todavia, sugeriram que o hospital passe por um processo de reformulação administrativa, o que implica em modernização e oferta de serviços de excelência em áreas específicas. Tal ação evitaria que muitos pacientes procurassem atendimento em outras cidades, o que gera riscos e transtornos, já que a demanda por muitos procedimentos não é contemplada em Arcos.